24, 25 e 26
ABRIL
2019

 

Realização

O Colóquio de Pesquisa do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul (IHGRGS) tem por finalidade proporcionar um espaço para discussão e divulgação de pesquisas e trabalhos nas áreas de conhecimento das Ciências Humanas; Artes; Ciências Sociais Aplicadas; e Linguística e Letras, que utilizam fontes custodiadas pelo IHGRGS ou outras instituições de custódia de acervos do Rio Grande do Sul. Além disso o 1º Colóquio busca promover o diálogo entre pesquisadores de diferentes campos do conhecimento, divulgando instituições de pesquisa e seus acervos documentais. 

 

Ana Carolina Gelmini de Faria 

​Museóloga formada pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), com especialização em Psicopedagogia Institucional e Educação Especial pela Universidade Veiga de Almeida (UVA). Mestre e doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Experiência na área museológica atuando principalmente nos seguintes temas: Museologia, Educação em museus, História dos museus, Teoria museológica e Pesquisa museológica, tendo realizado pesquisas como bolsista de iniciação científica pela UNIRIO e FAPERJ, trabalhado como pesquisadora voluntária no Departamento de Museus e Centros Culturais (DEMU/IPHAN - atual IBRAM), como prestadora de serviços do Setor Educativo do Museu Histórico Nacional (MHN) e consultora no Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo (MJF). Membro do grupo de pesquisa do CNPq "Escritas da história em museus: objetos, narrativas e temporalidades". Atualmente é professora adjunta do Curso de Bacharelado em Museologia do Departamento de Ciências da Informação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (DCI/ FABICO/ UFRGS).

 

 

Janice Gonçalves 

Possui graduação em História (1986), mestrado (1995) e doutorado em História Social (2006) pela Universidade de São Paulo. Foi bolsista da FAPESP durante seu mestrado. Realizou estágio sênior no Chile (Pontifícia Universidad Católica, Instituto de Estética) entre agosto e dezembro de 2015, com bolsa de estágio sênior concedida pela CAPES. É professora efetiva da Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC, vinculada ao Departamento de História do Centro de Ciências Humanas e da Educação, bem como ao Programa de Pós-Graduação em História. De 2014 a 2016 também atuou como docente do PROFHistória, no polo coordenado pela UDESC. Foi coordenadora do Programa de Pós-Graduação em História da UDESC de agosto de 2012 a julho de 2015. Vice diretora da ANPUH-Seção SC entre 2008 e 2010 e diretora da mesma seção estadual entre 2010 e 2012. Coordenadora do GT Patrimônio Cultural da ANPUH-SC entre 2010 e 2018; atualmente é vice-coordenadora do mesmo GT. É também secretária do GT História e Patrimônio Cultural da ANPUH Brasil (gestão 2017-2019). Integra o Laboratório de Patrimônio Cultural (LabPac) da UDESC, do qual atualmente é coordenadora. Editora da revista interdisciplinar PerCursos, vinculada ao Centro de Ciências Humanas e da Edcuação da UDESC, desde 2017. Tem experiência na área de Memória e Patrimônio Cultural, com ênfase nas questões relacionadas ao patrimônio arquivístico, ao patrimônio edificado e à constituição do campo do patrimônio cultural no Brasil (estendendo seu interesse mais recentemente, para a América Latina). Também tem realizado estudos sobre historiografia em Santa Catarina.

Jurandir Malerba 

Possui doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo em 1997. Ocupou Visiting Positions nas University of Oxford (Inglaterra) e Georgetown University (Washington, DC); Inaugurou a Cátedra Sérgio Buarque de Holanda de Estudos Brasileiros na Freie Universität/DAAD. É Professor Titular Livre da UFRGS. Pesquisador do CNPq. Áreas de interesse: Brasil, teoria e história da historiografia.

 

 

Marlise Giovanaz 

Possui mestrado em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1999). Atualmente é professora assistente da Universidade Federal do Rio Grande do Sul no Departamento de Ciências da Informação e cursa Doutoramento em Museologia na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Tem experiência nas áreas de História, Arquivologia, Museologia, com ênfase em História Regional do Brasil, atuando principalmente nos seguintes temas: museologia, memória social, história da cidade, educação e patrimônio cultural.

 

Paulo Staudt Moreira

Professor titular da Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Diretor-presidente do Núcleo RS da Associação Nacional de História (2016/2018). Possui graduação em História pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos, mestrado em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1993), doutorado em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2001) e pós-doutoramento na Universidade Federal Fluminense. Exerceu o cargo de Coordenador do Programa de Pós-graduação em História da Universidade do Vale do Rio dos Sinos de 2010 a 2014. Membro da Comissão de Avaliação Quadrienal de PPGHs - CAPES (2013/2016). Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2 (2010/atual). Membro do Comitê de Ciências Humanas e Sociais da FAPERGS: como suplente (designação de 20 de agosto de 2015) e membro (06.09.2017 a 05.09.2019). Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil Colônia e Império, atuando principalmente nos seguintes temas: História da escravidão e do negro; História social dos movimentos populares; Patrimônio histórico documental; Identidade étnica; Abordagens de fontes documentais; História urbana no século XIX; Raízes e presença africana na América Latina; associativismo negro; saúde e doença.

Inscrições 

Modalidades de inscrição:

 

(a) Apresentador de trabalho:

- Inscrições encerradas. Orientações para envio do texto completo. 

(b) Ouvintes:

 

 - Inscrições até a data do evento pelo formulário. 

- A participação e a emissão do certificado terão custo simbólico de R$ 10,00 para ouvintes e para apresentadores de trabalho.

O pagamento deverá ser feito no primeiro dia do evento.

- O trabalho deverá versar sobre tema de livre escolha do autor e ser produzido a partir de:

a) estudos a respeito da história regional, incluindo instituições, trajetórias, etc.

b) pesquisas realizadas com base em fontes primárias custodiadas por instituições públicas e/ou privadas, preferencialmente o IHGRGS. Entende-se por fonte primária, toda a informação registrada em documentos (independente do suporte), produzida a partir das funções/atividades de instituições, entidades, famílias ou indivíduos;

Deverá ser remetido para seleção, dentro do prazo estipulado por este edital, através do e-mail: arquivoihgrgs@gmail.com

- Deverá apresentar resultados de pesquisa e não apenas propostas de investigação;

Deverá vir precedido de uma folha de rosto, na qual, além do título, deverá constar os seguintes dados do autor: nome, endereço eletrônico, telefone para contato, formação acadêmica e, se for o caso, instituição a qual está vinculado;

Deverá ser redigido com rigorosa correção gramatical (a revisão gramatical é de responsabilidade dos autores);

- Deverá ser inédito e formatado de acordo com as seguintes normas:

· Laudas A4: mínimo 10; máximo 15, sem inserção de número de página

· Ambiente Windows/Word, formato .doc

· Margens: Superior e Esquerda = 3 cm, Inferior e Direita = 2 cm

· Fonte: Times New Roman

· Espaçamento entre linhas: 1,5

· Título: fonte tamanho 12; estilo negrito; caixa alta; alinhamento centralizado

· Nome do autor: após o título; à direita; fonte tamanho 12; estilo negrito e itálico

· Resumo: após o nome do autor; no máximo 150 palavras; em português (sem abstract); fonte tamanho 11; espaço simples

· Palavras-chave: até 05 palavras-chave; após o Resumo; separadas por ponto final (.)

· Subtítulos: à esquerda; fonte tamanho 12; estilo negrito.

· Corpo do Texto: fonte tamanho 12; alinhamento justificado.

· Citações diretas:

- até três linhas: no corpo do texto; fonte tamanho 12; entre aspas; referência em estilo Times New Roman (autor, ano de publicação, página) no corpo do texto.

- mais de três linhas: recuo de parágrafo de 4 cm; fonte tamanho 11, texto justificado; sem aspas; espaçamento simples referência em estilo Times New Roman (autor, ano de publicação, página) no corpo da citação.

· Demonstrativos do artigo (quadros, gráficos, imagens e mapas): inseridos no corpo do texto, com as respectivas legendas.

· Notas de rodapé: no final da página; fonte tamanho 10; sem recuo da margem esquerda; espaçamento simples. Advertimos, que a notas de rodapé devem ser inseridas por meio de ferramenta própria do editor de texto.

3.2.1 Referências e fontes pesquisadas

 

- As referências deverão constar no final do artigo, de acordo com as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

- A exatidão das referências e a correta citação no texto são de responsabilidade do(s) autor(es) do artigo.

 - As fontes pesquisadas devem ser relacionadas no final do artigo, fornecendo dados como: identificação do documento (tipologia, número, ano, fundo) e instituição responsável pela guarda.

 

Da publicação dos artigos

 

- A publicação dos anais do evento será disponibilizada em formato digital no Portal do IHGRGS.

- Os artigos e resumos publicados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando a posição oficial do IHGRGS.

- Ao encaminharem seus resumos para o Colóquio de Pesquisa, os autores já estarão, automaticamente, concedendo autorização para que sejam publicados.

- Somente serão publicados os trabalhos apresentados no evento promovido pelo IHGRGS.

- O lançamento dos anais ocorrerá após o evento.

O IHGRGS tem por finalidade promover estudos e investigações sobre História, Geografia, Arqueologia, Filologia, Antropologia e campos correlatos de conhecimento, principalmente centrados no Rio Grande do Sul. Preserva a memória rio-grandense através de fundos documentais e acervos bibliográficos que servem, também, para embasar as investigações e a construção de massa crítica sobre seu objeto de trabalho.

Instituto Histórico e Geográfico do RS
R. Riachuelo, 1317, Centro
Porto Alegre - RS

Cep: 90010-271
F: (51) 3224-3760

Horário de atendimento ao público e pesquisa:
Terça à Sexta das 13:30 às 18:00

SOBRE O IHGRGS 
ENDEREÇO COMPLETO
 
 

QUARTA-FEIRA (24 DE ABRIL)

 

TARDE

13h30min - Credenciamento

14h às 16h30min - Apresentações de Trabalhos

16h30min – Convívio

17h00min às 18h00min - Roda de Conversa: “Entre fontes e metodologias”

Prof. Dr. Paulo Staudt Moreira (UNISINOS)

Prof. Dr. Jurandir Malerba (UFRGS)

Mediação: Prof. Dra. Carla Renata Gomes (IHGRGS)

 

QUINTA-FEIRA (25 DE ABRIL)

 

MANHÃ

09h00min às 12h00min – Apresentações de Trabalhos

 

TARDE

14h às 16h30min – Apresentações de Trabalhos

16h30min – Convívio

17h00min às 18h30min – Conferência: “Cabouqueiros da História, salvadores de tesouros: o IHGSC frente aos documentos de arquivo”

Profa. Dra. Janice Gonçalves (UDESC/IHGSC)

Mediação: Prof. Dr. Éverton Reis Quevedo (IHGRGS - Memória e Cultura Unimed Federação/RS)

 

18h30min às 20h00min – Lançamento de Livros

 

SEXTA-FEIRA (26 DE ABRIL)

 

MANHà                                                                                                               

09h00min às 12h00min – Apresentações de Trabalhos

 

TARDE

14h às 16h30min – Apresentações de Trabalhos

16h30min – Convívio

17h00min às 18h00min – Roda de Conversa: “Fontes: seleção e classificação do passado”

Prof. Dra. Marlise Gionanaz (UFRGS) - "Fontes Históricas - entrecruzamentos entre História, Museologia e Arquivologia"

Prof. Dra. Ana Carolina Gelmini de Faria (UFRGS) - "O projeto Memória Museologia UFRGS - um estudo de caso"

Mediação: Prof. Dr. Jefferson Telles Martins (IHGRGS)

 
 

Quarta-feira, 24 de abril – 14 horas

ANÁLISE DA TRAJETÓRIA DAS INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS: UM ESTUDO DE CASO

Graciela de Brum Palmeiras (FURG); Jênifer de Brum Palmeiras (UPF)

O PAPEL HISTÓRICO DA UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO NO DESENVOLVIMENTO DAS COMUNITÁRIAS NO RIO GRANDE DO SUL

Jênifer de Brum Palmeiras (UPF); Denize Grzybovski (UPF)

ENTRE KAINGANGS E POSSEIROS: A REVOLTA DE NONOAI NO NORTE DO RIO GRANDE DO SUL (1978)

Alex Antônio Vanin (UPF)

PROCESSOS ADMINISTRATIVOS DO INCRA: NOVAS PERSPECTIVAS PARA O ESTUDO DO MUNDO RURAL NO RIO GRANDE DO SUL

Caroline da Silva (UPF)

REFLEXOS DA POÉTICA LEONENSE: QUANDO A HISTÓRIA VIRA POESIA E UM POETA VIRA LEI

Carlos Eugênio Costa da Silva (IHGCL)

AGENTES DE UM “PROSELITISMO ATIVO, UNTUOSO, LISONJEADOR”: UM MAPEAMENTO DOS SUJEITOS PROTESTANTES NAS PÁGINAS DA REVISTA ECLESIÁSTICA BRASILEIRA (1953-1971)

Augusto Diehl Guedes (UPF)

PROTESTANTES E ANTICLERICAIS: REGISTROS DA REVISTA ECLESIÁSTICA BRASILEIRA

Marta Rosa Borin (UFSM); Lorenzo Giuliano Bortolazzo Machado (UFSM)

ENTRE A LIBERDADE E A SEGURANÇA: UMA ANÁLISE BAUMANIANA DO DESEJO PELA INTERVENÇÃO MILITAR NAS MANCHETES DE JORNAIS BRASILEIRO DE 1964

Ricardo Cortez Lopes (UFRGS); Nadila Albuquerque Luchini (UFRGS)

Quinta-feira, 25 de abril – 9 horas

OS IGNÁCIO XAVIER

Ângela Pereira Oliveira Balladares (UFRGS)

O PROCESSO DE TITULAÇÃO DOS TERRITÓRIOS DAS COMUNIDADES REMANESCENTES QUILOMBOLAS NO RIO GRANDE DO SUL

Áxsel Batistella de Oliveira (UPF)

A CIDADE RETRATADA: UMA ANÁLISE DAS REPRESENTAÇÕES DA CIDADE A PARTIR DO CONCURSO CULTURAL DE FOTOGRAFIA AMADORA “MEU OLHAR DE CANOAS”

Ketlin Quinhones Wons (UNISINOS)

O ENQUADRAMENTO FOTOGRÁFICO COMO POSSIBILIDADE DE REGIÃO NA HISTÓRIA

Fabiana Beltrami (IHPF)

A GÊNESE DA CONTRACULTURA ESTADUNIDENSE E O PAPEL ASSUMIDO PELA MÚSICA NO CONTEXTO PÓS-SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

Edemilson Antônio Brambilla (UPF); Alexandre Saggiorato (UPF)

A CONTRIBUIÇÃO DOS JORNAIS, DAS PEÇAS DE TEATRO E DOS RELATOS DE VIAGENS PARA UMA MEMÓRIA LINGUÍSTICA E SOCIAL DO RIO GRANDE DO SUL DO SÉCULO XIX

Paulo Ricardo Silveira Borges (UFPel)

DIÁRIO DE PORTO ALEGRE: APONTAMENTOS HISTÓRICOS SOBRE O PRIMEIRO JORNAL DO RIO GRANDE DO SUL

Aline do Amaral Garcia Strelow (UFRGS); Ana Claudia Gruszynski (UFRGS); Antonio Hohlfeldt (PUCRS)

                             

LENÇO GAÚCHO: A ORIGEM DE SUAS CORES E NÓS A PARTIR DOS LIVROS DE PAIXÃO CÔRTES (1979) E CAMPUS ABREU (2015)

Cleici Naira Rios Reolon (IFRS); Natálie Pacheco Oliveira (IFRS)

Quinta-feira, 25 de abril – 14 horas

UM OLHAR SOBRE O MUNDO RURAL NA ERA VARGAS (1930-1945)

Vitória Comiran (UPF)

QUOS DEOS VULT PERDERE: A TRAJETÓRIA DE ANOR BUTLER MACIEL NO MINISTÉRIO PÚBLICO DO RIO GRANDE DO SUL (1939-1941)

Marcelo Vianna (IFRS e UNISINOS)

O DOPS EM PORTO ALEGRE ENTRE OS ANOS DE 1946-1964: A ESCRITA E AÇÃO DA POLÍCIA ENTRE OS ATOS DE VIGIAR E REPRIMIR OS “INDESEJADOS” DO ESTADO

Estela Carvalho Benevenuto (UNISINOS)

DITADURA MILITAR E ANARQUISMO: UMA ANÁLISE HISTÓRICO-JURÍDICA DA REPRESSÃO JUDICIAL NO BRASIL

Waleska Gaspar (UPF)            

AS CONTRADIÇÕES DA BARRAGEM DO PASSO REAL NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA (1967-70)

Pedro Vicente Stefanello Medeiros (UPF)

AS ATAS DA ALERGS COMO FONTE DE PESQUISA DA AÇÃO DO DEPUTADO ESTADUAL PELO MDB JOÃO CARLOS GASTAL (1971-1978)

Daniel de Souza Lemos (SEDUC RS)   

A 'PARTICIPAÇÃO POPULAR' EM DISPUTA: O CASO DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA NO GOVERNO OLÍVIO DUTRA

Rafael Saraiva Lapuente (PUCRS)

A ATUAÇÃO DE PAULO BROSSARD NO PLEBISCITO SOBRE A FORMA E O SISTEMA DE GOVERNO (1993)

Roberto Biluczyk (UPF)

Sexta-feira, 26 de abril – 9 horas

 

A TRAJETÓRIA DE UM PADRE FRANCÊS NA PROVÍNCIA DE SÃO PEDRO (CÔNEGO JOÃO PEDRO GAY, SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX)

Luciano Nunes Viçosa de Souza (PPGH)

 

A MOÇÃO DE SÃO LUIZ GONZAGA

Anderson Iura Amaral Schmitz (IHGSLG)

 

“TÃO IMPORTANTE AO TRÂNSITO GERAL DO COMÉRCIO DA PROVÍNCIA": O RIO TAQUARI E SEUS AFLUENTES NA ANÁLISE DOS OFÍCIOS ENVIADOS PELA CÂMARA MUNICIPAL DE TAQUARI/RS (1850-1852)

Cibele Caroline da Rosa (UNISINOS); Marcia Solange Volkmer (UNIVATES)

 

REDES CATIVAS E O USO DO COMPADRIO COMO ESPAÇO DE SOCIABILIDADE (VIAMÃO, 1747-1759)

Israel da Silva Aquino (UFRGS)

 

OS DITAMES DA ORDEM: A INSERÇÃO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA EM RIO PARDO NA DÉCADA DE 1840

Michele de Oliveira Casali (UFRGS)

 

AS GRANDES PROPRIEDADES PECUARISTAS NOS CAMPOS DE CIMA DA SERRA NO FINAL DO SÉCULO XIX

Andréa Pagno Pegoraro (UPF)  

 

APONTES SOBRE A HISTÓRIA DO CLIMA DO RIO GRANDE DO SUL AO LONGO DO SÉCULO XIX

Paulo Jolar Pazzini Galarça (UFRGS); Jefferson Cardia Simões (UFRGS)

 

UM TESTE OBJETIVO PARA ESTRATIFICAÇÃO DE GRAUS DE CULTURA ESCRITA DE REDATORES OITOCENTISTAS

Valéria Neto de Oliveira Monaretto (UFRGS)

 

FONTES HISTÓRICAS PARA O ESTUDO DA LÍNGUA PORTUGUESA NO RIO GRANDE DO SUL

Tatiana Keller (UFSM); Evellyne Patrícia Figueiredo de Sousa Costa (UFSM)

 

INSTRUÇÃO E PROVIMENTO: O FORNECIMENTO DE UTENSÍLIOS ESCOLARES ÀS CADEIRAS DE PRIMEIRAS LETRAS EM TRIUNFO/RS (1880-1889)

Gabriela Portela Moreira

Sexta-feira, 26 de abril – 14 horas

 

TRAJETÓRIA SOCIAL DO ENGENHEIRO DE MINAS FRANCISCO RODOLFO SIMCH: MEMÓRIA DO INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO DO RIO GRANDE DO SUL

Alice Marc (IFRS)                    

 

O CAMINHAR DOS OBJETOS: ESPAÇOS E TRAJETÓRIAS DA PESQUISA

Amanda Mensch Eltz (UFRGS e CHC Santa Casa)

 

INDÍCIOS DA HISTÓRIA DO CAMPO DOS MUSEUS NO RIO GRANDE DO SUL: ITINERÁRIOS DE UMA PESQUISA A PARTIR DE SUAS FONTES DOCUMENTAIS

Ana Carolina Gelmini de Faria (UFRGS); Iandora de Melo Quadrado (UFRGS)     

 

DOS ARQUIVOS E ACERVOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE UMA HISTÓRIA PÚBLICA

Bibiana Werle (Colégio Guarapuvu)       

 

A VOZ DA IMAGEM: USO DE FONTES DOCUMENTAIS NA PESQUISA DE HISTÓRIA DA ARTE

Gabriela Carvalho da Luz

 

MEMÓRIA, HISTÓRIA E FONTES DE PESQUISA: TRABALHANDO COM IMIGRAÇÃO NO RIO GRANDE DO SUL

Julio Cesar Bittencourt Francisco (UFRGS)       

 

O PAPEL DA COLUNA “PESQUISA” DO JORNAL GAZETA DO SUL NA FORMAÇÃO DO ACERVO DO MUSEU DO COLÉGIO MAUÁ NO PERÍODO 1987-1996

Lourdes Maria Agnes (UFRGS); Marlise Maria Giovanaz (UFRGS) 

         

ARESTAS HISTORIOGRÁFICAS: O ACERVO DOCUMENTAL DO MUSEU HISTÓRICO VISCONDE DE SÃO LEOPOLDO E A ABORDAGEM DE TEMAS POLÊMICOS SOBRE A HISTÓRIA DA IMIGRAÇÃO ALEMÃ NO RIO GRANDE DO SUL

Rodrigo Luis dos Santos (UNISINOS)

Orientações apresentadores de trabalho: 

a) o fundo das lâminas deverá ser branco ou cor clara;

b) a fonte deverá ser no mínimo tamanho 20;

c) o texto deverá estar em cor escura, preferencialmente preto;

d) os apresentadores terão até 15 minutos para a apresentação do trabalho;

e) recomenda-se que os arquivos sejam salvos em formato pdf, em pendrive.

 
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now